quarta-feira, 3 de maio de 2017

TODOS OS GÊNEROS DE FILMES DO CINEMA MODERNO


 
= Ação: Filmes de ação é um gênero de cinema que geralmente envolve uma história de protagonistas do bem contra antagonistas do mal, que resolvem suas disputas com o uso de força física e armas. Os filmes de ação são comuns de se misturarem com os gêneros policiais e crimes, westerns e guerra, entre outros. Geralmente são superproduções, com high concept (alta tecnologia), que recorrem freqüentemente ao uso de efeitos especiais para explosões e acidentes e muitas mortes.

= Animação: A história do filme de animação começa com os primeiros momentos do cinema mudo. Contudo, a história das Imagens Animadas começa antes, com a produção de Brinquedos Ópticos tais como o Fenaquiscópio,inventado em 1832 pelo belga Joseph Plateau e pelo austríaco Simon von Stampfer, simultaneamente. O primeiro desenho animado foi realizado pelo Francês Émile Reynaud, que criou o praxinoscópio, sistema de animação de 12 imagens, e filmes de aproximadamente 500 a 600 imagens, projetado no seu próprio théatre optique, sistema próximo do moderno projetor de filme, no Musée Grévin em Paris, França, em 28 de Outubro de 1892. O primeiro desenho animado em um projetor de filmes moderno foi Fantasmagorie pelo diretor francês Émile Courtet, projetado pela primeira vez em 17 de Agosto de 1908 no 'Théâtre du Gymnase', em Paris. Courtet foi para Fort Lee, NY próximo da cidade de Nova York em 1912, onde trabalhou para o estúdio francês Éclair e espalhou sua técnica pelos Estados Unidos. O primeiro filme de longa-metragem animado foi El Apóstol (1917) do Argentino Quirino Cristiani, mostrado na Argentina.

= Aventura: O filme de aventura é um gênero cinematográfico que reflete um mundo heróico de combates e aventuras. Foi inventado na Itália, como meio de exaltação de seu passado histórico e, posteriormente, foi usado pela Rússia, para exaltar a Revolução Russa. Cenas de muita ação, como lutas e perseguições, sempre filmadas em planos curtos; As principais características são os Personagens estereotipados: um herói forte e valente contra um vilão. Os personagens lutam por um objetivo: tesouro, resolução de um mistério, resgate de pessoas. A que Premissa: o bem sempre prevalece sobre o mal. Os protagonistas enfrentam obstáculos e sofrem uma transformação no decorrer da história. A ação dramática ocorre fora dos espaços cotidianos, em lugares pouco usuais, como florestas, desertos, galáxias etc. Freqüentemente a ação acontece no passado ou num mundo de fantasia. É dada maior importância à ambientação, ao vestuário e aos efeitos especiais que ao roteiro.

= Chanchada: Chanchada é o espetáculo ou filme em que predomina um humor ingênuo, burlesco, de caráter popular. As chanchadas foram comuns no Brasil entre as décadas de 1930 e 1960. O Começo do Cinema no Brasil e o surgimento da Chanchada A produtora carioca, Atlântida Cinematográfica, descobriu nos filmes carnavalescos um grande negócio, capaz de fazer muito sucesso entre o público brasileiro. Ela foi à grande responsável pelo sucesso das chanchadas e a pioneira em adotar os temas carnavalescos em forma de musicais. Após o esgotamento da fórmula, a Atlântida passou a adotar argumentos, enredos e situações mais complexas e heterogêneas. É neste período, entre as décadas de 50 e 60, que os filmes ganham maior empatia com o público e a Atlântida vivia seu auge. O Brasil da época tinha laços de dependência com a cultura norte-americana, o que gera atitudes colonizadas dos produtores, do público e da crítica. Desta forma, as chanchadas passam a basear-se na paródia do cinema dos Estados Unidos para atrair o público. Apesar das produções serem feitas a partir da caricatura e trejeitos norte-americanos, eram adicionados temas do cotidiano nacional, como as anedotas tipicamente cariocas e o jeito malandro de falar e se comportar do brasileiro. O resultado obtido eram produções genuinamente brasileiras, que foram capazes de lotar as salas de cinema por um longo período. Com a liberação dos costumes, começaram a ser produzidas no início dos anos 70 as chamadas Pornochanchadas, inspiradas em comédias italianas e filmes eróticos europeus.

= Catástrofe: Catástrofe é um gênero cinematográfico muito popular, que mistura três elementos principais: enredo apocalíptico, apelo melodramático e cenas de ação, de preferência com efeitos especiais que enfatizem o clima de tensão. O gênero compreende uma mistura de ficção científica e fantasia, permitindo ao roteirista abordar todo e qualquer tema capaz de causar pânico, que vão desde acidentes nucleares, passando por ataques de extraterrestres, colisão com cometas, incêndios, grandes acidentes ou intempéries da natureza, como terremotos, maremotos e erupções vulcânicas. Essa amplitude de assuntos colocou os filmes-catástrofe como um dos preferidos das produções de segunda linha, já que não exigem um roteiro muito original ou orçamentos fabulosos. Contudo, existem exceções. O alemão Roland Emmerich, diretor e roteirista de O Dia Depois de Amanhã, só faz filmes-catástrofe de primeira linha. O primeiro longa-metragem que pode ser considerado um genuíno filme-catástrofe foi Aeroporto, de 1970, que tinha no elenco Burt Lancaster e Jacqueline Bisset.

= Comédia: A comédia é o uso de humor nas artes cênicas. Que recorre intensivamente ao humor. De forma geral, "comédia" é o que é engraçado, que faz rir. Uma das principais características da comédia é o engano. Freqüentemente, o cómico está baseado no facto de uma ou mais personagens serem enganadas ao longo de toda a peça. À medida que a personagem vai sendo enganada e que o equívoco vai aumentando, o público vai rindo cada vez mais. O filme cômico, que se caracteriza pela inclusão de gags, pilhérias ou brincadeiras, tanto visuais como verbais, começou sua existência praticamente no início desta arte. L'arroseur Arrosé (O Regador Regado), de 1896, filme francês dos irmãos Lumière, é considerada a primeira comédia da história do cinema. Desde o começo, criaram-se filmes em que se mostravam imagens que alegravam ou faziam rir o espectador, ainda que fosse sem o acompanhamento do som. Nestas comédias, quase em sua totalidade estadunidenses, utilizavam-se das perseguições, dos golpes, das quedas, das surpresas dos personagens, para conseguir a hilaridade do público. Era um cinema cheio de golpes com tortas, choques de automóveis, velozes perseguições policiais e inúmeras situações mais ou menos insólitas. Observam-se ali os protótipos do que seria o cinema de comédia.

= Comédia romântica: É um subgênero cinematográfico dos gêneros comédia e romance. O argumento básico de uma comédia romântica é que duas pessoas se conhecem mas, apesar da atração óbvia que existe entre elas, não se envolvem romanticamente por algum fator interno ou por alguma barreira externa, como o fato de um deles ter uma relação amorosa com outra pessoa, por exemplo. Porém, em algum momento, depois de diversas cenas cômicas, eles se separam por alguma razão e, só daí, se dão conta do quanto eles são perfeitos um para o outro. Após um espetacular esforço, ou uma coincidência incrível, eles se encontram novamente, declaram-se amor eterno, e vivem felizes para sempre. Logicamente, existem numerosas variações nesta linha de argumento e não é essencial que os dois personagens principais acabem um nos braços do outro. O formato básico de uma comédia romântica é muito anterior ao cinema. Muitas das peças de teatro de William Shakespeare, como Muito barulho por nada e Sonho de uma noite de verão se situam dentro do gênero da comédia romântica.

= Cult: Filme de culto do inglês cult movie,é um termo coloquial para filmes que agregam grupos de fãs devotos, mas que não alcançam uma fama e reconhecimento considerável. As características em um filme cult podem incluir uma trilha sonora obscura, conter conceitos e ciências fictícios criados na história, ou personagens estranhos. Geralmente são filmes de conteúdo original, e de roteiro também original, que tentam passar uma mensagem inovadora, muitas vezes de forma subliminar, de múltipla interpretação e de difícil compreensão pelo grande público. Por assim ser, geralmente são enquadrados em filmes alternativos, filmes B e undergrounds. Esses filmes não se preocupam em agradar ao grande público, não seguem fórmulas holliwoodianas de grande sucesso, não entram nos grandes circuitos, e geralmente não alcançam grandes bilheterias, e portando, na grande maioria das vezes, não interessam às grandes produtoras. No entanto, agradam um pequeno público de gosto peculiar e mais refinado, que tenta extrair a mensagem que o autor quer passar, e a utiliza como fonte de conhecimento, e às vezes até como filosofia de vida. Pela relativa escassez desse material, esses filmes acabam por serem cultuados e amplamente debatidos por seus fieis “seguidores”.

= Dança: A dança é uma das três principais artes cênicas da Antiguidade, ao lado do teatro e da música. A dança se caracteriza pelo uso do corpo seguindo movimentos previamente estabelecidos (coreografia) ou improvisados (dança livre). Na maior parte dos casos, a dança, com passos cadenciados é acompanhada ao som e compasso de música e envolve a expressão de sentimentos potenciados por ela. No cinema ela envolve os personagens com um roteiro moderno de dança solo, dança em dupla, ou em sua maioria a dança em grupo. Para enfatizar as personalidades dos personagens os filmes de dança têm muita musica que mostram danças folclóricas, danças históricas, danças cerimoniais, danças étnicas, e danças urbanas modernas no enredo.

= Drama: O gênero cinematográfico mais famosos do mundo,o Drama, contém múltiplos significados. Segundo os dicionários Houaiss e Aulete, drama pode significar: "forma narrativa em que se figura ou imita a ação direta dos indivíduos", "texto em verso ou prosa, escrito para ser encenado" ou mesmo a "encenação desse texto". Por analogia pode ser ainda "qualquer narrativa no âmbito da prosa literária em que haja conflito ou atrito", podendo ser conto, novela, romance etc., ou mesmo toda a arte dramática. O termo é também encontrado no cinema, na televisão, no rádio, significando um texto ficcional, peça teatral ou filme de caráter "sério", não cômico, que apresenta um desenvolvimento de fatos e circunstâncias compatíveis com os da vida real. Na vida cotidiana um conjunto de acontecimentos complicados, difíceis ou tumultuosos pode ser um drama, assim como um acontecimento que causa dano, sofrimento, dor.

= Espionagem: Os filmes de espionagem são um gênero cinematográfico popular desde a década de 1960. Neles predomina a intriga, a pancadaria e o mistério, O único motivo pelo qual se reconheceu os filmes de espionagem como sendo um gênero independente, foi pela exagerada utilização da intriga e do mistério nos seus filmes, diferenciando-o assim do gênero de ação onde todos as cenas se concentram em luta e violência. Este novo gênero tornou-se num êxito em pouco tempo, tornando não só os filmes conhecidos como também a sua trilha sonora. De facto, a música que exibiam tornou-se quase inseparável deles próprios, em especial no caso do agente secreto James Bond. A música de John Barry definiu o tom musical do género, cujos princípios têm sido seguidos desde então.

= Erótico: O erótico é um gênero de cinema semelhante ao pornográfico. A única diferença que os distingue e faz com que sejam denominados de maneira diferente é o fato de no cinema erótico haver uma história mais bem constituída, ou seja, não ser apenas um pretexto para começar o que realmente o filme quer divulgar, como no caso do cinema pornográfico. Também é chamado formalmente de cinema de sexo implícito. Além disso, no cinema erótico existe, tal como no pornográfico, o culto ao corpo e ao sexo, mas de uma forma mais "suave", onde apenas se induz a situações que o espectador pode deduzir, ou seja, induz as pessoas a pensarem em sexo, mas sem mostrar pessoas completamente nuas ou a efetuaram o ato sexual. Isso significa que no cinema erótico há o sexo mostrado indiretamente, enquanto que no cinema pornográfico é mostrado de uma forma direta. O cinema erótico é considerado também para muitas pessoas a verdadeira arte deste gênero, ou seja, consideram o gênero erótico como sendo único gênero existente com estas características, considerando também o pornográfico com sendo o lado mais negro do cinema erótico.

= Fantasia: Fantasia é algo surreal, toda história e outras formas sobrenaturais como o elemento principal ou primário de uma narrativa. Este gênero é geralmente distinguido de ficção científica pelo aspecto geral, atmosfera e pelos temas de cada autor individual. De modo geral, o termo fantasia cobre trabalhos de escritores, artistas e músicos, desde mitos e lendas até obras mais recentes, conhecidas por uma vasta audiência. Como outras formas de ficção especulativa, os acontecimentos e ações na literatura fantástica muitas vezes diferem daqueles possíveis na realidade. Em muitos casos, especialmente em trabalhos mais antigos, mas também em muitos modernos, isto é explicado por uma intervenção divina, mágica, ou de outras forças sobrenaturais. Outros casos, mais frequentemente em trabalhos de História, na chamada High Fantasy, a história pode acontecer num mundo fantástico, que é completamente diferente do nosso, completado com leis distintas da natureza que permitem a magia excessiva.

= Faroeste (ou western): Cinema western, também popularizado sob os termos "filmes de cowboys" ou "filmes de faroeste", compõe um gênero clássico do cinema norte-americano,ainda que outros países tenham produzido westerns, como aconteceu em Itália, com os seus western spaghetti. O termo inglês western significa "ocidental" e refere-se à fronteira do Oeste norte-americano durante a colonização. Esta região era também chamada de far West extremo oeste, e é daqui que provém o termo usado no Brasil e Portugal, faroeste também se usou o termo juvenil bang-bang. Os westerns podem ser quaisquer formas de arte que representem, de forma romanceada, acontecimentos desta época e região. Além do cinema, podemos referir ainda à escultura, literatura, pintura e programas de televisão. Ainda que os westerns tenham sido um dos gêneros cinematográficos mais populares da história do cinema e ainda tenha muitos fãs, a produção de filmes deste género é praticamente residual nos tempos que correm, principalmente depois do desastre comercial do filme Heaven's Gate (O portal do paraíso no Brasil), de Michael Cimino, no início da década de 1980. Contudo, houve ainda alguns sucessos comerciais posteriores que foram, inclusive premiados com Oscar de melhor filme, como Dancem with Wolves (Dança com Lobos) de Kevin Costner, ou Unforgiven (Os Imperdoáveis, no Brasil) de Clint Eastwood. Mas os westerns que vêm à memória da maioria dos cinéfilos são, mesmo, os da sua época áurea.

= Ficção científica: Desde que o cinema começou se encontra a ficção científica em filmes. Autores de livros que causaram a curiosidade e a imaginação do mundo sobre temas dessa natureza, como H. G. Wells ou Júlio Verne, chamaram também a atenção de artistas de outras mídias. Orson Welles, como radialista, aterrorizou toda a população de Nova York, interpretando no rádio a história do livro Guerra dos Mundos de H. G. Wells, onde grande parte da população acreditou estar mesmo sendo invadida pelos marcianos. Alguns dos livros desses autores foram interpretados no cinema em preto e branco, como: Viagem ao centro da terra, Da Terra à Lua, A Máquina do Tempo, O Homem Invisível, Vinte mil léguas submarinas, A Ilha do Dr. Moreau, etc. Outros são histórias feitas para o cinema, como o clássico King Kong, embora nesse caso haja uma classificação alternativa como gênero do Cinema Fantástico, já que a história contada não é inspirada propriamente em especulação científica. Um tema bastante explorado na ficção científica é a da vida inteligente em Marte. Os "marcianos" foram mostrados em diversos filmes estadunidenses nos anos 30 e 40, aludindo a um medo de invasão espacial, surgido desde que foram observados pelos telescópios os famosos canais de Marte. Nos dias atuais os filmes do gênero estão entre os que alcançam maior índice de bilheteira, confirmando a fascinação das pessoas sobre o que está por vir, ou ainda sobre o que é pura fantasia: E.T., Guerra nas estrelas, O exterminador do futuro, De volta para o futuro ou episódios de Jornada nas Estrelas são alguns dos títulos mais conhecidos. É interessante observar os temas dos filmes mais populares de ficção, que em geral mostram os anseios e os receios de determinada geração em função de novas tecnologias ou descobertas científicas.

= Guerra: Filme de guerra é um gênero cinematográfico que de um lado se confunde com filmes de ação e épicos, principalmente quando são mostrados dramas históricos, enquanto por outro tem se prestado, ao longo da história, ao uso propagandístico ou patriótico dos governos de todos os países que, em maior ou menor grau, buscam obter dividendos através de obras que retratam conflitos pontuais ou do passado. Nesse aspeto, nenhum país foi mais eficiente do que os Estados Unidos, sobretudo durante a Segunda Guerra Mundial. Naquela época, o engajamento de Hollywood na guerra traduziu-se em dezenas de títulos cujo objetivo evidente era levantar o astral do país. Contudo, foi também nos Estados Unidos que o gênero abrigou reflexões muitas vezes bastante ácidas sobre a guerra de maneira geral, e sobre a participação dos Estados Unidos em conflitos específicos, como a desastrada intervenção no Vietnã. Quase todos os países envolvidos em conflitos recorreram em algum momento a dramas e aventuras de guerra para destacar as suas razões e criticar as razões do inimigo eventual, apresentando de um lado personagens nobres e corajosos e, do lado oposto, os vilões. Uma boa parte dos filmes de guerra procura mostrar apenas ação com muitas explosões, tiros e mortes, há outra parte que usa o gênero para refletir sobre o mundo em que o homem vive, e do qual a guerra continua a fazer parte ainda hoje.

= Machinima: Machinima, termo criado a partir das palavras da língua inglesa machine (máquina) e cinema (produção de filmes), é tanto uma coleção de técnicas de produção associadas quanto um gênero fílmico, ou filme criado por tais técnicas de produção. Como uma técnica de produção, o termo diz respeito à computação gráfica produzida através de máquinas domésticas, em oposição à produção através das complexas máquinas programas 3D dos profissionais. Jogos em primeira pessoa costumam ser utilizados. Como gênero fílmico, o termo refere a filmes criados pelas técnicas descritas acima. Usualmente, machinimas são produzidos usando ferramentas e recursos disponíveis em um jogo. O primeiro machinima foi feito com o jogo Quake. Lançado em 1996 pelo clã The Rangers, Diary of a Camper foi o primeiro machinima. Um filme mudo curto, durando menos de dois minutos. Na época o termo machinima ainda não existia, e tais filmes eram chamados apenas de "filmes do Quake". Os produtores de Anachronox combinaram várias cenas do jogo em um Machinima com duas horas e meia de duração. Anachronox: The Movie é considerado o melhor machinima já feito, tendo recebido vários prêmios no Machinima Film Festival de 2002. Há machinimas que se destacam como The French Democracy, de Koulamata. Nesse machinima se conta uma história relacionada aos distúrbios que ocorreram nos subúrbios franceses no final de 2005. A comunidade oficial de Machinimas no Brasil começou em 2006 com séries usando o jogo Super Mario 64, mas com o passar dos tempos mais séries com jogos diferentes foram aparecendo e hoje o Brasil é um dos principais países que fazem machinimas, com diversos brasileiros em parceria com o site oficial americano Machinima.com.

= Masala: Masala é um gênero de filme indiano que mistura elementos de drama, comédia, romance e ação. O nome vem da mistura de temperos da culinária indiana. The Hindu considera o masala o único gênero de cinema tipicamente indiano. O gênero surgiu nos anos 70, com o cineasta Manmohan Desai e os roteiristas Salim-Javed. Embora o gênero em si tenha surgido nos anos 70, a literatura sânscrita, incluindo o Mahabharata e o Ramayana, que exerceram grande influência no pensamento e imaginação do cinema indiano, sempre se utilizou de elementos parecidos. Dentre estes elementos, inclui-se a trama secundária, a história de fundo e a "história dentro da história". O teatro sânscrito, que colocava bastante ênfase na música, na dança e no espetáculo, também exerceu grande influência. Outras influências foram o teatro popular indiano, e o teatro persa, que misturava realismo e fantasia, música e dança narrativa e espetáculo na mesma peça.  O cinema indiano se distanciou de Hollywood de várias formas. Por exemplo: nos musicais de Hollywood, o enredo costumava ser o próprio meio artístico, com narrativas realistas, enquanto que no cinema indiano, os elementos fantásticos eram exagerados, usando música, dança e "contos de fada". Não havia qualquer tentativa de disfarçar o fato de que estes elementos não eram reais, e, ao mesmo tempo, faziam parte da vida real, de forma simbólica e complexa.

= Musical: Filme musical é um gênero de filme, no qual a narrativa se apóia sobre uma seqüência de músicas coreografadas, utilizando música, canções e coreografia como forma de narrativa predominante. Mesmo inicialmente sem som, o cinema se preocupará em registrar espetáculos teatrais, inclusive de dança, como é o caso do pioneiro “O Dançarino Mexicano”, de 1898. Trata-se, desde o início, de um projeto de reproduzir e distribuir outras formas de arte, direcionando-as para as massas,com um inegável propósito comercial, é claro. Após os primeiros trinta anos do cinema, aparece em 1927 o primeiro filme com trilha sonora gravada e sincronizada: “O Cantor de Jazz”, não por acaso um musical, conta a história de um pretendente a cantor que sofre preconceito dos jazzistas tradicionais por ser branco. O ano de 1927 é duplamente marcante para o musical-espetáculo. Na técnica, surge a possibilidade de realizar filmes sonoros. Na linguagem, o espetáculo “ Show Boat'” revoluciona a narrativa do gênero musical, amarrando intrinsecamente as letras à trama e inovando nas temáticas abordadas. Imediatamente, os produtores enxergam a possibilidade de se investir num novo gênero. Em apenas dois anos, já são 80 títulos produzidos em musicais, e o número aumenta para 104 em 1930. Muitas das primeiras produções, no entanto, não são narrativas construídas através da música, e sim sobre a música,muitas vezes composições já existentes e populares, aproveitadas para embalar o filme em seu sucesso. Já nesse estágio, é uma apropriação da indústria cultural por ela própria. Outros títulos, no entanto, são apresentações filmadas dos sucessos musicais da Broadway, como “Rio Rita” (1930). Apesar de rara, nos primeiros anos, este tipo de releitura transforma-se em pouco tempo no modelo de produção, completando um ciclo quase natural de sucesso na indústria cultural: obras literárias são adaptadas para peças; peças para musicais de palco; musicais para filmes.  

= Filme noir: Film noir é um estilo de filme primariamente associado a filmes policiais, que retrata seus personagens principais num mundo cínico e antipático. O Film noir é derivado dos romances de suspense da época da Grande Depressão, muitos filmes noir foram adaptados de romances policiais do período, e do estilo visual dos filmes de terror da década de 1930. Os primeiros Films noirs apareceram no começo da década de 1940. Os "Noirs" foram historicamente filmados em preto-e-branco e eram caracterizados pelo alto contraste, com raízes na cinematografia característica do expressionismo alemão. O termo film noir (do francês, filme preto) foi atribuído pela primeira vez a um filme pelo crítico francês Nino Frank em 1946. O termo era desconhecido dos diretores e atores enquanto eles criavam os films noirs clássicos. A expressão foi definida posteriormente por historiadores do cinema e críticos. Muitos dos criadores de film noir revelaram mais tarde que não sabiam, naquela época, que haviam criado um tipo distinto de filme.

= Policial: No gênero policial, os argumentos quase sempre envolvem crimes e criminosos, policiais e detetive particulares, mafiosos e ladrões. Os primeiros filmes abordavam a luta da polícia contra os gângster de Chicago, ocorrida nos tempos da Lei Seca. Scarface fazia uma alusão ao chefão da vida real Al Capone. James Cagney se tornaria célebre interpretando gângsters violentos e loucos em filmes como The Public Enemy (br: Inimigo Público), White Heat (br: Fúria Sanguinária) e Angels with Dirty Faces (br: Os Anjos da Cara Suja). Nos anos 40, muitos filmes policiais ficaram conhecidos pelo seu estilo cinematográfico pelo nome de filmes noir (filmes escuros), nome dado pelos críticos franceses. Humphrey Bogart foi o maior astro desse tipo de filmes, interpretando detetives particulares adaptados das novelas policiais de sucesso, como em The Maltese Falcon (br: Relíquia Macabra) e The Big Sleep (br: À Beira do Abismo). Orson Welles também foi outro gênio que gostava do gênero, dirigindo em 1947 The Lady from Shanghai (br: A Dama de Xangai), no qual tingiu de louro os cabelos de sua então esposa Rita Hayworth, transformada numa mortífera "loura fatal". Também é característico desses filmes haver uma narração do protagonista, o que não quer dizer que ele termine a história necessariamente vivo.

= Pornográfico: O cinema pornográfico apareceu rapidamente depois da criação da tecnologia de filmes, que fez com esse tipo de filme fosse possível. O "cinema pornô" tem muito em comum com as outras formas de pornografia. Os filmes pornográficos começaram a ser realizados no underground. A câmera era utilizada de modo amador e os filmes tinham distribuição limitada. De início, sua projeção era feita basicamente na casa do cliente ou em clubes privados. Atualmente, o cinema pornô é uma indústria, contando inclusive com suas próprias estrelas. Em alguns países, os cachês atingem valores significativos, muitas vezes superando o cachê de artistas razoavelmente bem sucedidos em outras áreas do cinema. Os filmes pornográficos existem desde a época do cinema mudo, e eram usualmente rodados em bordéis. Em 1970 nos Estados Unidos, o cinema pornô ganhou forte impulso, graças à eliminação do Código das Produções e à instituição da classificação de filmes por faixa etária, deixando de ser um produto do submundo criminal e se constituindo numa indústria publicamente instalada. Passaram a ser exibido em cinemas próprios, conhecidos por "Salas Especiais". Nessa época alguns filmes ficaram para a história, como Garganta Profunda, O Garanhão Italiano, Atrás da Porta Verde e O Diabo na Carne de Miss Jones, que foi uma superprodução para a época.

= Romance: O gênero romance pode ser definido como aqueles cujo enredo se desenvolve em torno do envolvimento amoroso entre os protagonistas. Um dos pré-requisitos do gênero é de que o filme tenha um "final feliz"; contudo, alguns filmes com final triste também podem ser considerados filmes do gênero romântico. São os chamados "star-crossed lovers", os amantes que não conseguem ficar juntos no final do filme, como é o caso de Romeu e Julieta, Titanic, Brokeback Mountain e a animação Pocahontas. Alguns dos clichês do gênero são o “amor verdadeiro”, que se sobrepõe a todos os obstáculos, e o "par perfeito” que é geralmente mais presente nas comédias românticas.

= Suspense: Suspense é um sentimento de incerteza ou ansiedade mediante as conseqüências de determinado fato, mais freqüentemente referente à perceptividade da audiência em um trabalho dramático. Não é, porém, uma exclusividade da ficção, pode ocorrer em qualquer situação onde há a possibilidade de um grande evento ou um momento dramático, com a tensão como emoção primária mediante a situação. Em uma definição mais ampla do suspense, tal emoção surge quando alguém está preocupado com sua falta de conhecimento sobre o desenvolvimento de um evento significativo; suspense seria, então, a combinação da antecipação com a lide da incerteza e obscuridade do futuro. No cinema, o suspense foi largamente explorado, como forma de cativar a audiência. Alguns cineastas o tornaram sua marca registrada, como é o caso de Alfred Hitchcock, cujos filmes possuem a preocupação principal de provocar uma reação de medo ou expectativa. No tipo de suspense descrito por Hitchcock, ele ocorre quando a audiência tem a expectativa de algo ruim que está para acontecer, uma perspectiva construída através de eventos sucessivos, aos quais eles não têm o poder de interferir de forma a prevenir os acontecimentos. Muitas séries de TV exploraram o suspense, como forma de manter a audiência por longos períodos. Um exemplo foi a série The Twilight Zone ("Além da Imaginação", no Brasil), realizada em 1959, que explorava o clima entre o suspense e o poético em histórias centradas na vulnerabilidade humana, incentivando a reflexão. O sucesso do formato da série levou a várias refilmagens e continuações, nos anos 1980 e em 2002.

= Terror: Horror é um gênero literário, cinematográfico ou musical, que está sempre muito ligado à ficção e fantasia, e que também pode ser verificado na pintura, no desenho, na gravura e fotografia. Um dos mais populares escritores de terror contemporâneo é o Stephen King, conhecido por ter escrito as famosas obras Carrie, O Iluminado, It (livro)It, Misery e muitas outras. Tendo iniciado o seu trabalho na década de 1970, King conseguiu atrair uma enorme audiência, motivo este que fez com que a U.S. National Book Fundation o premiasse em 2003.9 Brian Lumley, James Herbert, Dean Koontz, Clive Barker10 , Ramsey Campbell11 e Peter Straub também são autores de horror contemporâneo populares. Seqüências de livros best-selling de tempos contemporâneos estão relacionadas com ficção de horror, tais como a fantasia urbana de lobisomens Kitty Norville de Carrie Vaughn, e a ficção gótica e erótica de Anne Rice. Elementos do gênero de horror continuam a se expandir para além do gênero de terror em si. Características Um dos traços definitivos do gênero de horror é que o mesmo provoca uma resposta emocional, psicológica ou física nos leitores que faz com que os mesmos reajam com medo. Uma das citações mais famosas de Lovecraft em relação ao gênero é: "A emoção mais antiga e mais forte da humanidade é o medo, e o mais antigo e mais forte de todos os medos é o medo do desconhecido."; a primeira sentença de seu ensaio seminal, O Horror Sobrenatural na Literatura.

= Trash: A definição de Filme Trash, em geral, trata-se de um filme tecnicamente mal feito (propositadamente ou não), mas que é considerado bom. A estética cinematográfica Trash pode ser usada em qualquer gênero de filme ou vídeo, mas é mais usada no Terror. Costuma-se considerar Trash todo filme de Terror que ao invés de causar medo ou tensão, é engraçado. Os Diretores famosos de filmes trash são: Lloyd Kaufman, Ed Wood, Roger Corman, Peter Jackson, Sam Raimi, John Waters, Robert Rodriguez, Stuart Gordon, Russ Meyer, Charles Band, Petter Baiestorf

= Mockumentary: A mockumentary  palavra que significa algo como simulados ou documentais é um tipo de filme ou programa de televisão em que os eventos fictícios são apresentados em estilo de documentário.Estas produções são muitas vezes utilizados para analisar ou comentar sobre os acontecimentos atuais e questões, usando um cenário fictício, ou para parodiar a própria forma documental. Eles podem ser terror, cômico ou dramático em forma, embora mockumentaries cômicos são mais comuns. A mockumentary dramático por vezes referido como docufiction. Embora as origens exatas do gênero não são conhecidas, exemplos surgiu durante a década de 1950, quando o filme de arquivo metragem se tornou relativamente fácil de se encontrar .  O termo "mockumentary", que teve origem na década de 1960, foi popularizada em meados dos anos 1980, quando o diretor Rob Reiner usou em entrevistas para descrever o filme This Is Spinal Tap . Mockumentaries são muitas vezes parcial ou totalmente improvisado , como um estilo improvisado de atuação ajuda a manter a pretensão de realidade.

= Found Footage: Voltado mais para o terror, o Found Footage (Filmes Perdidos, no Brasil) é um gênero de filme surgido nos anos 1980. Trata-se de um filme se passando por um documentário filmado com uma simples filmadora. Muitas vezes o estilo é usado para filmes de terror. Até hoje o estilo faz sucesso. O filme que popularizou o estilo foi A Bruxa de Blair, que em seguida ganhou uma paródia com o mesmo estilo (Da Hip Hop Witch) estrelado por Eminem e Vanilla Ice. Todavia, o trabalho que inaugurou o estilo foi Cannibal Holocaust (conhecido no Brasil como "Canibal Holocausto"), filme italiano de 1980 dirigido por Ruggero Deodato. Muito tempo se passou até que mais filmes desse estilo apareceram no cinema: 2007, com Atividade Paranormal, de Oren Peli e REC, de Jaume Balgueiró e Paco Plaza, que gerou um remake no mesmo ano. Os filmes se tornaram sucessos. Um ano depois, foi lançado Cloverfield com Michael Stahl-David e Odette Yustman. Ao invés de se tratar de fenômenos espirituais, trata-se do ataque de um monstro em Nova York.Em seguida, em 2009, foi lançado a seqüência para Atividade Paranormal, Atividade Paranormal 2 e REC 2. Em 2010, surgiu Atividade Paranormal em Tóquio e Contatos de 4º Grau, com Milla Jovovich, sendo o primeiro a focar em alienígenas. Em 2011, foi lançado Apollo 18, o primeiro filme de terror nacional, Desaparecidos. E em 2012, foi lançado Chronicle, o primeiro filme do gênero sobre super-heróis, e Project X, a primeira comédia do gênero.

= Slasher: Slasher é um novo gênero de filmes originado do suspense moderno e do terror moderno, quase sempre envolvendo assassinos psicopatas que matam aleatoriamente. Pecando em vários sentidos em sua produção tanto no roteiro quanto na atuação, edição, fotografia, música e envolvendo muito sangue. Normalmente são feitos com baixo orçamento, daí são constantemente nomeados como "terror b". O nome "slasher" foi criado porque o princípio básico do filme é um serial killer com uma máscara ou fantasia que vai coletando vítimas e mais vítimas ao longo do filme, até ser revelada sua identidade misteriosa pelo protagonista que, após fugir o filme inteiro, acaba matando o vilão. Muitos filmes se destacaram ao longo dos anos desde que o gênero se submeteu. Tendo como precursor o clássico "Halloween - A Noite do Terror", de John Carpenter, A Hora do Pesadelo, Sexta-Feira 13,O Massacre da Serra Elétrica,Pânico, e o mundialmente popular Eu Sei o que Vocês Fizeram no Verão Passado.
Postar um comentário