sábado, 28 de junho de 2014

MOVIMENTO STRAIGHT EDGE BRASIL TRIBO SXE

 
FALA GALERA...A ÚNICA TRIBO URBANA QUE EU REALMENTE ME IDENTIFICO SÃO OS STRAIGHT EDGE,POIS ELES NÃO SÃO SOMENTE UMA TRIBO URBANA ESTILOSA,OU UM MOVIMENTO JOVEM PASSAGEIRO,SER STRAIGHT EDGE É UMA FILOSOFIA DE VIDA,OS MEMBROS DO SEU MOVIMENTO ACREDITAM QUE DEVEMOS VIVER A VIDA INTENSAMENTE,MAS SÓBRIO SEM O USO ILUSÓRIO DE DROGAS E BEBIDAS COMO AS OUTRAS TRIBOS. O MAIORIA DELES SE INTERESSAM POR CAUSAS AMBIENTAIS,CHEGANDO AO VEGANISMO,OUTROS SE PREOCUPAM MAIS POR CAUSAS SOCIAIS OU ANARQUISMO POLÍTICO,MAS EM TODO CASO, OS JOVENS STRAIGHT EDGE SEGUEM UMA FILOSOFIA DE SOMAR NA SOCIEDADE, E ABRIR A MENTE DELA PARA AS CAUSAS RELEVANTES QUE NELA ESTÃO. A MAIOR EXPRESSÃO DOS SXE,NÃO SÃO ROUPAS E ACESSÓRIOS COMO AS OUTRAS TRIBOS URBANAS,E SIM SEUS ATOS SOCIAIS OU TATUAGENS QUE MOSTRAM O VERDADEIRO SIGNIFICADO DE SER UM STRAIGHT EDGE,AS BANDAS SXE TEM LETRAS CONSCIENTIZADORAS E COM MENSAGENS DE INOVAÇÃO SOCIAL. ENTÃO CONHEÇAM MELHOR A ORIGEM DESSA FASCINANTE TRIBO...
Straight edge que em uma tradução livre significa: “caminho reto". é um modo de vida que surgiu nos anos 80 associado ao punk/hardcore. Ele defende a total e perene abstinência em relação a entorpecentes como tabaco, álcool e as outras chamadas drogas ilícitas. O precursor do movimento foi a mundialmente famosa banda de hardcore Minor Threat. Os "straight-edgers" não se identificam com uma visão de mundo particular sobre temas sociais ou políticos, embora muitos deles defendam posições como o anarquismo, vegetarianismo, veganismo, sustentabilidade e movimentos ecológicos. Entre bandas declaradamente straight-edgers podemos citar, além do próprio Minor Threat, Youth of Today, Teen Idles, Rise Against, Gorilla Biscuits, Lärm, Bold, LCE, To See You Broken, Stick To Your Guns, etc. E alguns artistas que são conhecidos por declararem abertamente serem Straight Edge, como Tommy Green (Sleeping Giant), Beau Bokan (Blessthefall), Jona Weinhofen (I Killed The Prom Queen), Max Cavalera (Soulfly), Winston McCall (Parkway Drive).
Straight edge às vezes abreviado para "sXe" ou "SxE"pode ser definido como uma contracultura, modo de vida, ou como uma forma de resistência, abstendo-se de substâncias psicoativas, lícitas ou ilícitas. A ideia surgiu com o início da cultura punk, entre jovens de culturas distintas que simplesmente não viam sentido em fazer o uso de drogas ou de bebidas alcoólicas para se divertir. Existem inúmeras razões pelas quais alguém pode escolher se tornar um straight edge. A ideia dominante entre os que se identificam com o movimento é a de que a consensualização e generalização atual do uso de substâncias alteradoras do humor contribui para a anestesia política e contenção da contestação. Alguns membros também defendem que desta forma estão protegendo sua saúde física e mental.
Quem adota esta postura procura geralmente uma forma de resistir, através da contracultura, à pressão social que incentiva a alienação pelo consumo de substâncias entorpecentes. Uma parte considerável dos straight-edgers também é vegetariano ou vegano, ainda que muitos não vejam uma ligação direta entre estes dois ideários e o straight edge. Da mesma forma, muitos edgers optam pelo ateísmo. Entre os que optam pelo teísmo, muitos seguem religiões orientais como o movimento Hare Krishna (Vaishnava), que tem relação com as origens do straight edge através de bandas como o Youth of Today. Em correntes minoritárias, ideologias nacionalistas, conservadoras e religiosas, assim como pontos de vista de extrema direita também podem estar presentes, sendo, em geral, mal vistos pelos straight-edgers tradicionais. Qualquer que seja a posição, cada edger irá assumir total responsabilidade por seus atos.
O SIGNIFICADO DO XXX:
No livro "Our Band Could Be Your Life", MacKaye coloca que ele e seus amigos perdiam shows de suas bandas favoritas porque nas casas de espetáculos que elas tocavam eram servidas bebidas alcoólicas, e os menores de 21 anos não podiam permanecer nesses locais em Washington (EUA). A banda de MacKaye, Teen Idles, fez uma turnê na costa oeste estadunidense em 1980. Em São Francisco no Mabuhay Gardens, o dono do clube teve a boa idéia de marcar um grande "X" nas mãos dos adolescentes com uma caneta permanente, de modo a prevenir ao barman que aqueles indivíduos não tinham a maioridade exigida para consumo de álcool. Quando retornaram a Washington, MacKaye deu a sugestão a vários donos de casas de show da área, para igualmente permitirem a participação dos adolescentes de sua região nos shows, sem que consumissem álcool. Com o tempo, os adeptos da filosofia straight edge começaram a usar o "X" até fora dos bares, e mesmo depois de completarem a idade legal para beber. Assim, ele acabou se tornando o símbolo do movimento. Algumas pessoas interpretam os três "X" como "corpo, mente e alma". Outros, como o símbolo da letra da música "Out of step" do Minor Threat: "I don't drink, I don't smoke, I don't do drugs - At least I can fuckin' think! [...]" ("Eu não bebo, eu não fumo, eu não me drogo - Pelo menos eu consigo pensar, porra!").
Na verdade, os "três xis" (XXX) tiveram sua origem em um trabalho artístico feito pelo baterista do Minor Threat, Jeff Nelson, no qual foram substituídas as três estrelas da bandeira da cidade natal da banda (Washington D.C.) pelos "xis", usados na capa da coletânea "Flex Your Head", lançada pela Dischord Records em 1982. É muito comum se ver edgers com o símbolo do "X" tatuado especialmente na mão, ou ainda vê-lo pintado nas roupas, ou fixo nelas na forma de buttons, patches, etc… Alguns edgers preferem não utilizar o "X", por vários motivos, dentre eles o de fugir da auto-rotulação. O "X" é considerado principalmente uma marca de negação e de identidade. Colocá-lo no início e no fim de um nome pessoal ou de banda é uma prática comum entre os edgers como forma de identificação.
MOVIMENTO STRAIGHT EDGE NO BRASIL: 
O movimento chegou ao Brasil aos poucos. Durante os anos 80,O primeiro registro de algo relacionado ao straight edge no país é a foto na contracapa da coletânea "Grito Suburbano", o primeiro disco punk lançado no Brasil (em 1982), do vocalista do Olho Seco, Fábio Sampaio, com um “X” pintado na mão. Em 1989 foi formada em São Paulo a primeira “banda straight edge” nacional, o Energy Induct, entretanto não chegou a gravar ou fazer shows. Um de seus membros fundou anos depois o fanzine e selo Liberation e integrou a banda Point of No Return. O No Violence, fundado também em 1989, também foi uma das primeiras bandas nacionais a ser associada ao movimento, mas nem todos os membros eram adeptos da idéia. Os primeiros exemplos inteiramente straight edge no Brasil só apareceram em 1993, na própria São Paulo, com as bandas Positive Minds e Personal Choice.
Todas essas bandas compartilharam membros, e alguns deles formariam em 1996 o Point of No Return, que durante sua existência foi a mais conhecida e atuante banda straight edge do país. Conforme surgiam as bandas, os membros e amigos passaram a organizar shows independentes, evitando bares e casas noturnas e inserindo algumas vezes atividades paralelas culturais e políticas. Estes shows foram o embrião da Verdurada, principal evento da cena “Straight Edge” nacional desde 1996, que na época ocorria nos fundos de uma residência do bairro paulistano do Jabaquara. Em 1998 ano surgiu a banda Infect, formada por 5 garotas que tocavam um hardcore rápido e pesado, algo ainda inusual para garotas na época. O Infect tratava em suas letras de temas como direito ao aborto, vegetarianismo e straight edge, por exemplo, tendo muito destaque dentro da cena no país. Seu material também foi lançado na Europa e nos Estados Unidos. Em 1999 surgiu no Rio de Janeiro a banda de metalcore Confronto, fazendo muito sucesso na cena straight edge brasileira, tendo feito já 4 turnês pela Europa. Recentemente, foi lançado um DVD de 10 anos de carreira gravado no lendário Galpão do Jabaquara, com uma apresentação histórica ao lado das bandas Sepultura e Torture Squad no Festival Tomarock em Duque de Caxias. Outra banda feminina que acrescentou muito à cena edger nacional, com letras feministas, anticapitalistas, vegetarianas e ambientalistas foi a One Day Kills. Surgida em 2000, era formada por seis garotas que faziam um hardcore muito pesado com dois vocais guturais. Em seu site até hoje é possível encontrar textos que expressam a visão política que elas tinham com relação aos temas citados acima.
= O LUTADOR CM PUNK DA WWE:
Ajudou a popularizar o movimento na mídia.
= A CANTORA ALISSA WHITE GLUZ:
Segue um estilo de vida Straight-Edge ,Ela também é uma ativista ambiental que trabalha com o “PETA” e é vegan. Atual vocalista da banda de metal Arch Enemy. Alissa foi uma das fundadoras da banda The Tempest que depois mudou para seu nome atual The Agonist.
= O ATOR FELIPE TITTO:
Ator global admitiu seguir as filosofias do movimento SXE.
ENFIM GALERA...O MOVIMENTO SXE NO BRASIL É MEIO RESTRITO,PARA NÃO SE TORNAR INUTILMENTE POPULAR COMO OS "EMOS",MAS EMBORA AS OUTRAS TRIBOS TRATEM OS STRAIGHT EDGE COM DEBOCHE POR ELES NÃO BEBEREM,FUMAREM,OU USAREM DROGAS, É FATO QUE A TRIBO STRAIGHT EDGE É UMA DAS ÚNICAS TRIBOS EM QUE SEUS MEMBROS PODEM ENVELHECER NELA,DIFERENTE DA OUTRAS,QUE NA MAIORIA SÓ SÃO SEGUIDAS QUANDO SEUS MEMBROS SÃO JOVENS,E DEPOIS QUANDO ELES ESTÃO COM 30 OU 40 ANOS DEIXAM O MOVIMENTO,MAS PRA VCS QUE SE INTERESSARAM,TA AI UM DOCUMENTÁRIO SOBRE ELES,VLW GALERA ATE:
Postar um comentário