quinta-feira, 9 de abril de 2015

EU SOU NOTÍVAGO...OS NOTÍVAGOS A SOCIEDADE B

Fala Galera...Uma equipe internacional identificou uma mutação genética que afeta o relógio interno do corpo e poderá explicar por que razão algumas pessoas só conseguem adormecer tarde de madrugada. Em um trabalho publicado na revista Science, cientistas relatam sobre uma mutação genética, chamada de "pós-hora", que afeta o nosso relógio biológico e pode ajudar a explicar por que algumas pessoas são "pessoas da noite", que apenas conseguem dormir nas primeiras horas da manhã. Significa que nosso relógio interno,o metabolismo ou a forma como o corpo gerencia a sua energia, está regulado para uma atividade predominantemente noturna. Nossas funções, ritmo, disposição, estariam todos mais dispostos nessa parte do dia. Não que só funcione mais à noite, mas integra-se melhor com a atmosfera da noite. Morcegos, por exemplo, têm o seu organismo totalmente voltado para a noite e dormem de dia. Muitos de nós, naturalmente ou por força da profissão, somos notívagos. Produzimos mais à noite e descansamos de dia. A pessoa notívaga se sente muito melhor à noite que de dia, trabalhando melhor, estudando mais, pensando mais claramente, e não entende como é que alguém pode estar acordado às oito da manhã. Todo notívago gostaria de horários de trabalho e estudo alternativos, como das 22 às 6 horas.

Relato de um Notívago:

Os "normais" não nos entendem e nos “forçam” a trabalhar de manhã! Mas lá pelas 22 h, eles estão morrendo de sono. Imagine se a gente os obrigasse a trabalhar às duas da manhã e ir dormir somente às sete? Isso seria uma violência para eles, certo? Pois é! Eles nos “obrigam” a acordar às 7 h e somos “forçados” a dormir antes da meia-noite para podermos acordar cedo no dia seguinte.

Para quem gosta de acordar cedo e aproveitar o dia, segundo um estudo publicado na Harvard Business Review, desfrutaria de vantagens profissionais por ter maior capacidade produtiva. Indiferente para os notívagos, que, pela pesquisa, são considerados muito mais criativos. Pois existe hora marcada para a produtividade e para a criatividade. Essa também é a opinião da neurologista e especialista em medicina do sono e vice-presidente da Associação Brasileira de Sono, Andrea Bacelar:

Ela diz: A pesquisa tem todo fundamento. O dia rende muito mais para quem acorda mais cedo. Mas o especialista em distúrbios do sono, Fausto Ito, afirma que a idéia de que dormir e despertar cedo torna o homem mais eficiente está ultrapassada. Para ele, o que se precisa, tão somente, é ter horários regulares de sono:

Ele diz: Não importa tanto quando vamos dormir e, sim, se este sono terá uma extensão reparadora.

Outro ponto importante, segundo os especialistas, é a própria pessoa saber se ela é mais produtiva no período matutino ou vespertino. O analista de programação Wilton Souza descobriu que sua produtividade é muito melhor à noite. Enquanto todos os seus colegas no canal adulto Sexy Hot trabalham das 9h30m às 18h30m, ele entra às 11h30m e fica até 20h30m.

Ele diz: É como se, antes das 11h, eu não existisse. Costumo dormir sempre muito tarde. Por mais que esteja cansado, durante a madrugada é o tempo que tenho para tocar violão, jogar videogame, ver televisão e estudar - conta Souza, que também prefere ter um horário diferente da maioria, para tirar uma boa casquinha do silêncio.

Ele diz: Depois de determinada hora, quando há menos pessoas ao meu redor, fica melhor para pensar. E acabo rendendo mais.

A conclusão é que depois de identificar seu perfil de produtividade, dizem os especialistas, o profissional deve considerar ter uma conversa com o chefe para negociar o horário de trabalho, definindo se é melhor chegar mais tarde ou mais cedo.
Eles trocam o dia pela noite,Mas Não é preguiça nem insônia: os vespertinos ou notívagos preferem trabalhar, estudar e se divertir enquanto o resto do mundo dorme. De 5% a 7% da população brasileira são notívagos. É o caso da psicóloga mineira Maria Aparecida Francisquini. Ela acorda por volta de 10h e às vezes trabalha até o sol raiar.

Ela diz: Se tenho que trabalhar de manhã, é uma luta. O esforço é horrível. Quando acordo cedo, à noite, a dor de cabeça é uma coisa extrema. Agora não ligo mais, mas já, passei vergonha pelas pessoas me ligarem às 9h de manhã e eu estar dormindo. Escrevo meus artigos para revistas e jornais às 2h, 3h da manhã. Sinto mais paz. E quem diz que é só se disciplinar está mentindo.

Diferentemente dos insones, os notívagos dormem bem e são bastante produtivos quando podem seguir seu relógio biológico. O padrão mais comum na população são pessoas que acordam pela manhã, rendem durante o dia e dormem durante a noite. Há os matutinos extremos, que acordam por volta de 3h da madrugada e dormem ao anoitecer, e os notívagos extremos, que acordam por volta de meio-dia e muitas vezes ficam despertos até 5h, 6h da manhã. São os que mais se prejudicam por terem um relógio biológico muito distante do “horário comercial”. “Os problemas começam com alterações do humor e do sono e mais adiante há problemas na digestão e eventualmente hipertensão”, diz Luiz Menna-Barreto, especialista em Cronobiologia da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo.

Os notívagos não são insones. A enfermeira Lucia Varella, 41 anos, está passando por esse drama. Notívaga desde a pré-adolescência, primeiro foi diagnosticada como depressiva e insone. Hoje diagnosticada como uma simples notívaga.

Ela diz: Tomei medicamento tarja preta por muito tempo, mas começou a me fazer mal. Minha adolescência foi um inferno. Ia para a escola dormindo, não rendia. No trabalho me prejudicava também, conta. Lucia começa a ter pique por volta de 18h. Tenho vontade de estudar, sair, limpar a casa. Só começo a ter sono às 7h, 7h30 da amanhã.  

Segundo o John Araújo Fontenelle, do Laboratório de Neurobiologia e Ritmos Biológicos da Universidade Federal de Rio Grande do Norte, o maior problema é a obrigação de se adaptar à rotina diurna. “Vespertinos extremos passam por uma maior privação de sono, porque dormem tarde, mas acabam tendo que acordar cedo”. O pesquisador afirma que o melhor é a pessoa tentar ajustar sua vida social conforme seu estilo de ritmo biológico, o que inclui trabalhos mais flexíveis e estudar à tarde, por exemplo. “A sociedade é dos matutinos. Veja o preconceito no ditado ‘Deus ajuda quem cedo madruga’”, diz. Fontenelle é co-autor de um estudo com 16 mil brasileiros, que avaliou a influência da latitude e das diferenças genéticas nos padrões de sono.

São três fatores que regulam o relógio biológico: genética, exposição à luz e disciplina com hábitos para dormir. “As evidências atuais apontam para a interação entre fatores genéticos e influências ambientais, numa proporção ainda não bem identificada e que talvez não seja a mesma para todos”, diz Menna-Barreto. Além disso, adolescentes tendem a se tornar vespertinos transitoriamente, e muitos são injustamente considerados preguiçoso. “Com a idade, tende-se a ficar menos vespertino. Quem é matutino extremo, fica ainda mais”, afirma Fontenelle.

Para se adaptar Há estratégias para tentar viver melhor no horário diurno. A primeira coisa a fazer é ajustar o relógio biológico com a luz. Um vespertino extremo precisa se expor à luz solar naturalmente no início da manhã. Na população brasileira, 5% a 7% são vespertinos extremos, tendo a mesma proporção de matutinos. “No Nordeste, onde o sol nasce e se põe mais cedo, você tem mais tendência a matutinidade. Já No Sul, aumenta o número de vespertinos”, afirma o pesquisador. 

Poema notívago:
"Os notívagos são filhos da noite e irmãos da madrugada
Enquanto o mundo dorme, ele desperta
Enquanto o mundo sonha, ele vira poeta
Enquanto o mundo acorda, ele adormece junto com as estrelas"
A SOCIEDADE B: 

A Suécia começa há criar uma nova revolução social, com a introdução da chamada “Sociedade B”. Uma sociedade que leva em conta os diferentes ritmos biológicos dos indivíduos para introduzir horários alternativos de funcionamento para escolas, locais de trabalho, universidades e organizações. A primeira instituição sueca a implementar o esquema é uma escola secundária de Gotemburgo, que a partir de setembro vai oferecer turnos opcionais entre 8 da noite e 8 da manhã. 

= Por que precisamos trabalhar todos no mesmo horário, e enfrentar os mesmos engarrafamentos? 
pergunta o manifesto do movimento B-Samfundet (“Sociedade B”).

= Por que temos que correr ao mesmo tempo para pegar as crianças na escola antes que elas fechem? Por que tudo tem que funcionar nos mesmos ritmos e horários, se isso causa problemas gigantescos na infra-estrutura da sociedade?

O B-Samfundet tem origem na Dinamarca, onde o movimento foi criado no ano passado. Ainda neste outono europeu, a Sociedade B será introduzida na Noruega e na Finlândia, e para outubro está previsto o lançamento na Grã-Bretanha. A Sociedade B se baseia em pesquisas científicas que indicam que cada indivíduo tem seu próprio ritmo biológico, uma espécie de “relógio interno” que é geneticamente determinado. Segundo essas pesquisas, uma “pessoa B” possui um ritmo interno de 25 a 27 horas, enquanto o de uma “pessoa A” tem um ciclo de 23 horas. As “pessoas B” são mais produtivas no final do dia e têm dificuldades de despertar de manhã cedo, que é quando as “pessoas A” são mais ativas. É um movimento contra a tirania do despertador, que ao mesmo tempo se encaixa no debate sobre a criação de uma sociedade de horários mais flexíveis, com maior equilíbrio entre trabalho e lazer - e melhor qualidade de vida.

“Nosso objetivo é acabar com as rígidas disciplinas de horário da sociedade industrial, em que todos chegam ao mesmo tempo e saem na mesma hora”, disse em entrevista a BBC Brasil Erika Augustinsson, vice-presidente do B-Samfundet.

“Vivemos em uma nova sociedade e queremos criar um novo jeito de viver, que respeite também os diferentes ritmos internos das pessoas”, acrescentou.

Erika destaca que esses diferentes ritmos biológicos também são uma realidade nas escolas, onde um grande número de crianças e adolescentes tem dificuldades de concentração pela manhã. Ou seja, esses alunos não têm exatamente preguiça de levantar para ir à escola,eles são apenas pessoas B . Na escola Vasa Lärcentrum, na cidade de Gotemburgo, o turno da tarde/noite está sendo introduzido depois de uma pesquisa realizada com os 150 alunos da instituição. A pesquisa mostrou que muitos estudantes consideraram a idéia bastante positiva”, contou a BBC Brasil Ingela Welther, gerente de planejamento do Departamento de Educação do governo de Gotemburgo. Segundo ela, a extensão do horário de funcionamento da Vasa Lärcentrum é uma experiência inicial, que poderá ser levada às outras escolas da rede pública: O objetivo é fornecer alternativas que ajudem os alunos a lidar melhor com seus estudos, e a completar sua educação com êxito...Ingela Welther destacou ainda que a introdução do cronograma alternativo possibilita também o melhor aproveitamento das instalações da escola, que poderá absorver mais alunos. o movimento Sociedade B já lançou o primeiro website do mundo direcionado a oferta e busca de empregos para pessoas B.
Postar um comentário