segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

O AVISTAMENTO DE RON JOHNSON EM DELPHOS 1971

Fala Galera...No Final da tarde de 2 de novembro de 1971, ocorreu um dos mais bizarros contato com um OVNI, em uma pequena cidade do Kansas, nos Estados Unidos. Ron (Ronald) Johnson foi à principal testemunha de um dos mais importantes casos de pouso de OVNIs ocorreu no começo da noite na pequena cidade de Delphos, no estado americano de Kansas. O conjunto de evidências associados ao caso o torna um dos mais sólidos casos já registrados. Um garoto chamado Ron Johnson, com 16 anos na época, e seu cão, chamado Snowball, cuidavam das ovelhas da família quando sua atenção foi despertada por um estranho objeto voador que se aproximava. Este objeto tinha forma de cogumelo, tinha aparência metálica com várias luzes multicoloridas laranja, vermelho e azul. O aparelho aproximou-se de Ron parando silenciosamente a aproximadamente 25 metros de distância, próximo à algumas árvores flutuando a poucos centímetros do chão. O objeto tinha aproximadamente 2 metros de diâmetro. Seu cão demonstrou sinais de inquietação na presença do aparelho. Assustado pelo que estava presenciando ele tentou chegar mais perto para dar uma olhada mas uma luz intensa vinda do aparelho impediu que ele observasse melhores detalhes. Segundo Ron o objeto produzia um som alto como uma máquina de larvar vibrante. O brilho na parte de baixo do objeto aumentou de intensidade no momento em que este objeto começou a elevar-se no céu. Devido à intensa luminosidade Ron teve sua visão ofuscada durante a partida da nave. Ele apenas ouviu o estranho som que se tornava mais agudo e alto conforme o objeto ganhava velocidade. Assim que sua visão melhorou, ele correu de volta para casa da família e avisou seus pais, Ema e Durel. Por vários dias ele ficou com sua visão sensível à luz além de sentir dores de cabeça que duraram vários dias.
Os pais de Ron Johnson vieram correndo até o local verificar o que havia acontecido. Eles ainda chegam a tempo de ver o objeto que ainda tinha o tamanho de uma lua cheia que desapareceu em seguida. Foi então que eles notaram que no local onde o objeto havia parado ficou uma marca circular brilhante. Nas árvores próximas também haviam algumas folhas brilhantes próximas ao circulo. As três testemunhas sentiram que o solo local estava de alguma forma afetado, e se mostrando diferente do resto do ambiente. Era como se ele estivesse cristalizado. Ao tocar o circulo brilhoso, a mãe de Ron sentiu seus membros inferiores amortecidos como se estivesse anestesiada. O senhor Durel, que trabalhava em uma casa de repouso, também sentiu efeitos semelhantes em suas pernas e braços a ponto de impedi-lo de medir a pulsação dos pacientes. Na ocasião foram obtidas algumas fotografias da marca. Ao amanhecer do dia seguinte a família imediatamente foi até o local do pouso do objeto. Havia chovido durante a noite e eles constataram fora da marca o solo estava úmido. Dentro do círculo também estava úmido, mas no anel brilhante estava completamente seco. Algumas semanas depois o inverno chegou e caíram os primeiros flocos de neve e fenômeno semelhante ocorreu: a neve depositava-se normalmente dentro e fora do circulo mas jamais no anel produzido pelo objeto. Investigadores coletaram amostras de solo tanto de dentro da marca quanto de fora dela e a submeteram à diversas análises. Através destas concluiu-se que no solo afetado a água não penetra.
O caso ganhou repercussão atraindo diversos jornalistas para a área. Um deles era Thaddia Smith, repórter do The Delphos Republican. Transcrevemos aqui o seu relatório: O círculo continua muito perceptível e fácil de se ver. O solo está seco e incrustado. O anel tem aproximadamente 2 metros e meio. O centro do anel e o lado de fora ainda estão lamacentos devido à recentes chuvas. A área do anel que está seca tem aproximadamente 30 centímetros e está com uma coloração muito clara. O objeto tinha esmagado uma árvore no chão, ou quando pousou ou quando decolou e parece que ele tinha quebrado uma parte de uma árvore viva quando pousou. O pedaço quebrado estava estranho. Seria normal ele quebrar se estivesse morta há algum tempo mas a casca a planta estava verde sob a casca e a área superior tinha folhas verdes presas nos galhos. Mais tarde no mesmo dia o Xerife Enlow, o sub-xerife Harlan Enlow e o patrulheiro do estado do Kansas Kenneth Yager investigaram o anel depois de serem informados dos fatos por Thaddia Smith. Segundo Harlan Enlow "... nós observamos um anel moldado por algo sem dúvida comum buraco no meio. O anel está completamente seco com um buraco no meio e na parte externa cheias de lama. Tem galhos quebrados de uma árvore e uma arvore morta ali. Existe uma ligeira descoloração nas árvores. Exames posteriores indicaram que o solo ficou afetado até uma profundidade de 30 centímetros. O anel em si era composto de uma substância esbranquiçada que foi levada para análise. A análise identificou um tipo de organismo intermediário entre bactérias e fungos que da família actiniomycete, gênero Nocardia, que quando estimulado por radiação ultravioleta emite luz junto com um fungo da ordem Basidomycetes. Além da família Johnson existem outras pessoas na área que testemunharam a aparição do OVNI. Investigadores descobriram aproximadamente 40 pessoas na região que avistaram o mesmo estranho objeto naquela ocasião. Nos dias seguintes ao contato, as ovelhas da família ficaram muito agitadas correndo rapidamente para o abrigo e evitando o local onde foi o pouso. 
Quatro semanas depois, noticias do incidente chegam ao investigador de ovnis Ted Phillips que foi ao local para investigar mais afundo o ocorrido. Ao chegar na fazenda Ted fala rapidamente com as testemunhas oculares do fenômeno, e em seguida os levam para o local onde o anel estava . E sobre o solo cheia de lama, úmida e preta , estava o anel de neve perfeitamente simétrica cobrindo apenas o circulo. Phillips se impressiona com o que vê e tira varias fotos, já que evidencias deixadas por ovnis são peças chaves para a  veracidade do caso dos Johnson . A neve é uma evidencia concreta para a investigação, o anel nesse local é hidrofóbico ele repele totalmente a agua, algo realmente havia afetado o solo drasticamente onde o UFO planou. Após tirar inúmeras fotos o investigador Ted começa a fazer linhas, e medições para estabelecer o tamanho exato do anel . E depois de examinar a marca circular no chão cuidadosamente, ele investiga toda a área com a ajuda da familia que testemunhou todo o evento refazendo os pasos deles . Intrigado com tudo o que estava presenciando, Phillips leva cerca de 20 quilos de amostras do solo e mais de 100 fotos para uma investigação mais profunda com a ajuda de outros cientistas, para ter uma opinião valida sobre o caso. Eles concluem que o solo do anel era bem diferente do solo normal, mas a informação mais surpreendente só surgiu 20 anos depois quando Phillips junto com uma analista em 1999 descobrem que após tanto tempo o solo continua hidrofóbico . Outra coisa importante sobre o caso é que mesmo após tanto tempo nenhuma planta cresceu onde o anel esta . Mesmo hoje pesquisadores não conseguem explicar como o solo se tornou hidrofóbico . Porem pesquisas mais recentes trouxeram mais informações valiosas sobre o caso como os altos níveis inexplicáveis de ácidos fulvico , e oxálico nas amostras do solo. O acido oxálico pode ter sido o responsável pelo efeito de dormência na mão da senhora Johnson que permanece até hoje . E a presença desses ácidos pode ter tornado o solo hidrofóbico.
Enfim Galera...Um encontro UFO muito credível ocorreu na pequena cidade de Delphos, Kansas em 1971. Este caso nunca foi desmascarado, e ainda é considerado como um dos melhores casos de rastreamento físicos que envolvem um pouso UFO. Em 2 de dezembro de 1971, em delphos kansas, mais ou menos 6 da tarde Ron Johnson de 16 anos fazia suas tarefas na fazenda, mas o que iria acontecer aquele Noite iria mudar sua vida para sempre. Vlw Galera ate.
Postar um comentário